Última atualização:
30/04/2004

Home

SOAR


Telescópio de 4,2 metros. Uma parceria: Brasil/EUA.


O sítio do telescópio

O telescópio

Instrumentos

Escritório Nacional

Galeria de Imagens

Links


Comentários e sugestões:
webmast@lna.br

A Configuração do Telescópio

A óptica do telescópio SOAR é do tipo Ritchey-Chrétien f/16 com espelho primário de diâmetro de 4,1 metros. O telescópio fornece um campo para observação com diâmetro de 8 minutos de arco, com imagens estabilizadas por sistema de "tip-tilt" de 50 Hertz. As imagens fornecidas pelo telescópio deverão apresentar degradação do "seeing" local inferior a 0,18 segundos de arco.

A montagem do telescópio é do tipo altitude-azimute, podendo acomodar oito instrumentos preparados para realizarem observações. O telescópio tem duas plataformas para observação no foco Nasmyth, localizadas nas laterais da estrutura do telescópio e tres pontos de observação Cassegrain no próprio corpo do telescópio. O feixe de luz é dirigido para um determinado instrumento através de um espelho terciário móvel que dirige o feixe para o instrumento que estiver em uso. Cada uma das plataformas Nasmyth pode suportar instrumentos de telescópios da classe de 8 metros como o Gemini, o que permite aos parceiros do SOAR a utilização de instrumentação compartilhada com outros telescópios.

A Óptica do Telescópio

O telescópio tem espelho primário de 4,1 metros de diâmetro. É um espelho adaptativo com 10 centímetros de espessura, suportado por 120 atuadores eletro-mecânicos. Os espelhos secundário e terciário são de vidro com alívio de peso e o terciário tem um sistema de "tip-tilt" para correções da frente de onda em primeira ordem operando em 50 Hertz. Os três espelhos foram fabricados com um vidro de baixa expansão ULE™, produzido pela empresa Corning.
O sistema óptico foi desenvolvido pela empresa norteamericana Goodrich Corporation, que realizou o polimento dos três espelhos, produziu os sitemas de suporte para os espelhos e fez a integração do sistema de controle.
O telescópio SOAR foi projetado para tirar o máximo de proveito de um sistema de óptica adaptativa utilizando camadas mais baixas da atmosfera. Este sistema está sendo projetado atualmente e será instalado como uma atualização do telescópio no futuro.

A Montagem do Telescópio

A montagem do telescópio é uma estrutura de precisão que se move em azimute sobre um rolamento de 3,6 metros e em elevação sobre dois pares de rolamentos com pré-carga. A montagem foi projetada e construida pela empresa Vertex RSI com uma frequência do primeiro modo de vibração de 10 Hertz de mameira a permitir que tal estrutura de grandes proporções possa acompanhar suavemente, reapontar de forma precisa e estabilizar-se rapidamente.  A montagem também provê rotatores para os instrumentos instalados nos focos Nasmyth.

Instalações Funcionais e Cúpula

O telescópio está abrigado em uma instalação compacta e eficiente que abriga o telescópio e fornece espaço para trabalhar com a  instrumentação e uma sala de controle. No alto do prédio de 757 metros quadrados está localizada uma cúpula esférica de 20 metros de diâmetro. A cúpula foi fabricada pela empresa brasileira Equatorial Sistemas, Ltda. Trata-se de uma super estrutura de aço com painéis de fibra de vidro parafusados entre si, formando a casca esférica.

Sistema de Controle

O sistema de controle do telescópio foi escrito em LabView da National Instruments e roda em um conjunto microcomputadores rodadando Linux e Windows. O programa LabView fornece a  conectivdade consistente com a rede computadores pessoais que controlam vários elementos do telescópio,  sistema de controle ambiental e instrumentos periféricos. O telescópio SOAR está configurado para permitir que astrônomos possam realizar observações remotas a partir de qualquer lugar do mundo, com o mínimo de exigências de "hardware" e conectivdade.