Última atualização:
05/12/2014

Home


Informações para os usuários

O sítio do telescópio


O telescópio

Instrumentos

Escritório Nacional

Galeria de Imagens

Links

 

Comentários e
sugestões:
webmast@lna.br


Concurso de Astronomia para Estudantes - 2014

Escolha um Objeto Astronômico para ser observado com o Telescópio SOAR

Estudantes brasileiros do Ensino Médio e do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental podem indicar um objeto astronômico interessante para ser observado com o Telescópio SOAR, com base no interesse científico e no apelo visual do objeto.

O procedimento é escolher um objeto celeste que se encaixe nas restrições descritas nas regras do concurso e escrever uma justificativa sobre a escolha do objeto. 


Textos Vencedores - CATEGORIA ENSINO FUNDAMENTAL II

1º lugar) Galáxia NGC 2207 por Ana Vitória Foletto Lasch e Emanuela da Silva Foletto, ambas com 13 anos, estudantes do 8° ano da Sociedade Educacional Três de Maio, em Três de Maio, RS, apoiadas pela professora de Astronomia Lilian Maria Christmann Stoll

Estudantes_EFII_primeiro_lugar
Estudantes Emanuela da Silva Foletto (esquerda) e Ana Vitória Foletto Lasch (direita) com a professora Lilian Maria Christmann Stoll. 

"Os objetos espaciais não são estáticos. Isto é previsível, além da teoria do Big Bang, pela força gravitacional resultante de atração entre dois corpos, quando a distância entre os mesmos é pequena em comparação com a suas massas. Um dos fenômenos que é consequência destes fatores é a colisão de galáxias. Pensando neste ocorrido, o objeto que escolhemos é a galáxia NGC 2207, ao observa-la é notável a sua íntima interação com a galáxia IC 2163.

Este processo de aproximação faz com que a forma de ambas as galáxias seja deformada, isto já é visível ao observar o efeito das marés sobre a galáxia menor, a IC 2163. Segundo uma publicação do Observatório Nacional (2013), as galáxias estão orbitando uma à outra. Neste momento, a menos massiva está passando por detrás da NGC 2207, seu ponto mais próximo foi há 40 milhões de anos, contudo, a gravidade fará com que ela retorne e passe por uma colisão.

O objeto pode ser encontrado sob a ascensão reta de 6h16m22s e declinação de -21º22’22” segundo o sistema equatorial universal, o que está dentro das restrições de coordenadas. O par também está de acordo com as restrições de tamanho, pois ambos juntos ocupam uma dimensão de aproximadamente 4,6’ X 2,1’. Inserida na imagem produzida pelo Goodman (7,2’ X 7,2’), o conjunto será visualmente harmônico já que, ocupando a parte central, poderão ser visualizados também outros objetos ao fundo. O NGC 2207 apresenta uma magnitude aparente V de 10.65, o que, apesar de ser pouco luminoso, está dentro dos limites para o aparelho.

A observação deste par de objetos é importante, pois como o processo ocorre na escala de milhões ou bilhões de anos, uma evidência de certo estágio pode ser comparada com outros e, assim, determinar a evolução de uma colisão. Ainda, o fenômeno merece ser observado tanto pela sua complexidade como pela raridade de encontrar duas galáxias nesta fase que possam ser visualizadas. Para isso, temos certeza que o telescópio SOAR, em conjunto com imageador Goodman, trará a melhor qualidade possível."

2º lugar) Galáxia NGC 1187 por Janine Paiva Avellar de 14 anos, estudante do 9º ano do Instituto Educacional Radeane, em Volta Redonda, RJ, apoiada pela professora de Química Otília Maria Moura.

Estudantes_EFII_segundo_lugar
Estudante Janine Paiva Avellar

"A supernova é uma explosão estelar intensa, resultante da morte de uma estrela massiva ou de uma anã branca (em um sistema binário), que pode irradiar uma energia comparável à quantidade esperada que o Sol emita durante toda a sua vida. A maioria das galáxias espirais apresenta uma supernova a cada três séculos, porém a peculiar NGC 1187 sediou duas explosões desse tipo durante os últimos 30 anos. A primeira, SN 1982R, foi descoberta em outubro de 1982, no Observatório La Silla do ESO, no Chile. E a mais recente, SN 2007Y, foi observada pelo astrônomo amador Berto Monard, na África do Sul.

A NGC 1187 (ou ESO 480-23) é uma galáxia espiral impressionante e relativamente jovem.           Localiza-se na constelação de Erídano (do latim Eridanus), e está à cerca de 60 milhões de anos-luz de distância da terra. Foi descoberta na Inglaterra, por William Herschel em 9 de dezembro de 1784. Por ser rica em gás, forma muitas estrelas que resultam em uma taxa de supernova maior que o normal.

Ela é vista quase de frente, o que proporciona uma boa apreciação de sua estrutura espiral.      Pode-se observar cerca de seis braços espirais proeminentes, que contêm grandes quantidades de gases e poeira. Os traços azulados indicam a presença de estrelas jovens (que nasceram de nuvens de gás interestelar). Já o núcleo possui uma tonalidade amarela e brilhante, pois é composto principalmente por estrelas antigas, formando uma combinação harmoniosa de cores. Segundo Richard Ford, “O núcleo desta galáxia se parece com uma auréola brilhante que é ligeiramente condensada”.

Tanto cientificamente, quanto artisticamente, a NGC 1187 impressionou e atraiu o olhar de muitas pessoas pelo mundo, inclusive o meu. Fazendo com que, em 2007, sua supernova mais recente fosse monitorada por vários cientistas de diversos telescópios. E, em 2012, foi divulgada uma detalhada imagem que me fascinou e intensificou meu interesse pela astronomia.

São propostas como este concurso que me impulsionam a pesquisar e olhar cada vez mais longe para o universo. Acredito que o Telescópio SOAR seria minha lente de aumento ideal."


3º lugar) Galáxia NGC 1316 por Marco Aurelio Goulart Teixeira de 13 anos, estudante do 8º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Quintino Rizzier, em Içara, SC, apoiado pela professora de Geografia Maria Helena Zanette Topanotti.
Estudantes_EFII_terceiro_lugar
Estudante Marco Aurelio Goulart Teixeira

"A escolha da galáxia NGC 1316 se deu devido a sua natureza intrigante, conforme estudou François Schweizer extensivamente no final de 1970, percebendo que ela se trata de uma galáxia elíptica com algumas faixas de poeira incomuns embutidas dentro de um envelope muito maior de estrelas, ele também identificou a presença de um disco compacto de gás perto do centro, parecendo girar mais rápido que as estrelas, Schweizer sugeriu que NGC 1316 foi construída a partir da fusão de várias galáxias menores, ou seja, tem em seu centro gravitacional um enorme buraco negro responsável por essas fusões.

Localizada a 60 milhões de anos-luz de distância da terra, está inserida na constelação da Fornalha, conhecida também como FORMAX A, com relação a linha do equador fica -37° 12’ 30”, podendo ser vista as 03hr e 22m e 41,7s.

Possui uma companheira menor identificada como NGC 1317, sendo uma pequena espiral, o que me deixa intrigado neste caso é que possivelmente ela poderá ser também engolida pela maior NGC 1316, poderia isso ser possível ou já estar acontecendo, isso por si só já acredito ser motivo para acompanhamento constante.

Muito se fala e se vê em filmes de ficção cientifica sob o tal buraco negro, porém de forma bem simples onde tudo que é atraído por ele tende a sumir e conforme a ficção até sendo direcionado para outras dimensões, porém o que de fato ocorre é que se trata de alguma galáxia em plena formação.

O ser humano desde os primórdios é fascinado pelas estrelas e todo o mistério que elas trazem consigo, além de sua beleza, muito se especula e se imagina do que realmente ocorre no espaço, como são formadas as estrelas, os planetas, as galáxias. Porém a astrolonômia compete estudar e fazer revelações que antes seriam impossíveis.

A galáxia NGC 1316 tem características bastante interessantes, e seria sem dúvida uma aventura muito especial poder junto com o projeto SOAR + Goodman Spectrograph, entrar neste universo através das imagens que possam ser obtidas."


3º lugar) Nebulosa do Anel do Sul (NGC 3132) por Alessandro da Cunha Menegon de 10 anos, estudante do 6º ano do Educandário Santo Antonio, em Santo André, SP, apoiado pela professora de Geografia Maria da Graça Carrança Martins.

Estudante EFII terceiro Lugar
Estudante Alessandro da Cunha Menegon

"Escolhi a nebulosa NGC 3132, conhecida como Anel do Sul ou EightBurst, porque além dela se enquadrar nas regras do concurso, tem uma  forma muito bela e curiosa . Essa nebulosa nasceu de uma estrela anã branca que compõe um sistema binário  e que curiosamente não é a mais brilhante da nebulosa. É um pequeno ponto brilhante próximo ao centro da nebulosa, que fica até ofuscada por sua estrela vizinha, bem maior.  Hoje essa estrela é menor que o nosso Sol, mas é extremamente quente.  Os gases espalhados pela estrela saem de sua parte mais exterior e são aquecidos pelo calor que emana do núcleo. Esse aquecimento faz com que os gases brilhem e formem essa linda nebulosa, que parece mesmo um anel ou até mesmo uma piscina de luz.

Além de linda, essa nebulosa tem alguns pontos que ainda não são bem compreendidos, como sua forma, a concha fria que a contorna e a posição dos frios filamentos de poeira que a atravessam. Merece mesmo uma foto do SOAR!

A NGC 3132 é uma nebulosa (“nuvem” em grego) planetária, ou seja, é uma nebulosa com a forma arredondada. Não custa lembrar que é só uma referência ao formato, porque uma nebulosa não tem nada a ver com planetas e sim com os gases ejetados de uma estrela que está morrendo.

A NGC 3132 tem aproximadamente oito anos-luz de diâmetro e está localizada a uma distância de 2000 anos-luz da Terra. É uma das nebulosas planetárias mais próximas conhecidas atualmente. O gás está se expandindo a partir da estrela central a uma velocidade de 9 milhas por segundo.

Sempre gostei muito de astronomia e esse ano recebi outra medalha da OBA, dessa vez de ouro.  Mas antes desse concurso, nunca havia pesquisado tanto sobre os objetos siderais. Fiquei muito impressionado com as formas curiosasdas nebulosas. Verdadeiras obras de arte.  Aprendi muito com essa pesquisa e fico imaginando que tipo de nebulosa nosso Sol poderá ejetar daqui há uns 6 milhões de anos...  Vou torcer muito para que minha sugestão seja aceita e eu possa ver a foto da linda NGC 3132tirada pelo SOAR ."