Poluição luminosa


Início
Entendendo a Poluição Luminosa
Como evitar? Avaliação da PL Referências Notícias



Como podemos evitar a Poluição Luminosa?

A chave para o combate à poluição luminosa é, principalmente, investir em sistemas de iluminação externa racionais, com a escolha adequada de lâmpadas, luminárias e a correta instalação.

A iluminação correta é aquela na qual a luz incide única e exclusivamente na área que precisa ser iluminada, utilizando lâmpadas que oferecem a definição de cores necessária para a aplicação específica.

Além dos benefícios ambientais e econômicos, a boa iluminação ainda permite a observação do céu e das estrelas... É o que mostra a ilustração abaixo, onde uma simulação do céu é exibida acima de cada cenário de iluminação. Como podemos ver, a melhor situação é aquela onde a luz é totalmente direcionada para baixo, oferecendo uma condição mais segura para quem transita e, adicionalmente, a possibilidade de observar o céu. Repare também como é mais difícil ver a pessoa abaixo do poste de iluminação quando a luz está mal direcionada.

Adaptado de CAS

Orientação e tipos de projetores e luminárias

Para uma iluminação externa não poluente, é preciso assegurar que os sistemas de iluminação estejam corretamente orientados, de modo a evitar que a luz artificial seja indevidamente enviada na direção do céu.

As luminárias também devem ter refratores planos junto às lâmpadas, para evitar a dispersão inadequada da luz.

Veja a seguir exemplos de boas práticas e produtos de iluminação menos poluentes.


Adaptado de IAC


Para vias públicas, estacionamentos ou áreas externas de empresas:

                   

Correta     Incorreta
À esquerda: luminária correta e mais moderna, com refrator plano; à direta, luminária incorreta. 


Para praças, áreas de lazer, jardins e áreas externas residenciais em geral:

Correta         Incorreta

À esquerda: luminária correta e mais moderna, à direta, luminária incorreta e altamente poluente.


Animação produzida pelo IAC


Lâmpadas

Não basta ter as luminárias certas e bem instaladas. É preciso escolher lâmpadas adequadas para cada aplicação.

As lâmpadas incandescentes estão entre as piores escolhas. São caracterizadas pelo alto consumo de energia, baixa eficiência e baixo tempo de vida.

As chamadas lâmpadas de vapor metálico são utilizadas quando é necessário um rendimento de cor melhor do que o oferecido pelas lâmpadas de alta pressão. Pela sua melhor definição de cores, são usadas em locais onde exista a possibilidade de transmissão de programas de televisão, apesar da energia consumida ser maior do que as eficientes lâmpadas de vapor de sódio de alta pressão. Sistemas de iluminação para eventos, por serem altamente poluentes, devem ser utilizados com restrição de horário.

Para os sistemas públicos de iluminação, a lâmpadas mais eficientes são a de vapor de sódio de alta e baixa pressão, que tem um tempo de vida longo, baixo consumo de energia, ótima eficiência e menor potência utilizada, quando comparada aos outros modelos. As lâmpadas de vapor de sódio de baixa pressão oferecem a melhor eficiência e o menor consumo de energia. Emitem em apenas uma pequena faixa do espectro visível, por isso tem baixíssimo rendimento de cores. São ideais para estacionamentos e vias públicas.



Lâmpadas de vapor de sódio de baixa pressão, com a luz corretamente direcionada para o solo.


As lâmpadas de vapor de mercúrio de alta pressão são extremamente nocivas, tanto do ponto de vista da poluição luminosa quanto pelo alto consumo de energia e  grande risco de contaminação ambiental após o seu descarte. Elas têm sido gradativamente substituídas principalmente por lâmpadas de vapor de sódio de alta pressão, mas ainda são muito comuns em algumas cidades da região, como Brazópolis.

As lâmpadas de LED têm sido apontadas como uma solução para o futuro da iluminação externa. Entre as vantagens, consomem pouca energia e são intrinsecamente direcionadas. No entanto, essas lâmpadas emitem luz em uma faixa de energia muito grande dentro do espectro visível e possuem substâncias cancerígenas em sua constituição. Mais pesquisas são necessárias para desenvolver uma tecnologia de iluminação idealmente sustentável para o futuro do planeta.





Veja também o Guia Práctica de Iluminación de Exteriores (OPCC - OTCC, em espanhol).


Última atualização: 16/05/2012