next up previous
Next: O Projeto Gemini Up: rel-gestao-2001 Previous: O Laboratório Nacional de

Subsections



O Observatório do Pico dos Dias - OPD


Caraterísticas do OPD

O OPD se situa numa reserva florestal no alto do Pico dos Dias, a 1864 m acima do nível do mar, no município de Brasópolis, a uma distância de cerca de 30 km da sede do LNA em Itajubá. Trata-se do único observatório no solo brasileiro para pesquisa de modo geral na área de astronomia óptica, aberto para toda a comunidade brasileira. O OPD abriga além dos telescópios, oficinas para manutenção destes e da instrumentação periférica e infra-estrutura hoteleira para astrônomos visitantes.

O OPD dispõe de três telescópios:

  1. O telescópio Perkin Elmer é o principal telescópio do OPD/LNA. Entrou em funcionamento em 1980. O espelho primário tem 1,6 metros de diâmetro e a razão focal no foco Cassegrain é f/10. O projeto óptico é do tipo Ritchey-Chrétien. No foco Coudé a razão focal é f/31,2, após algumas conversões, uma vez que o secundário fornece f/150. O telescópio de 1,6m aponta e acompanha alvos no céu sob controle de um programa desenvolvido pela UFMG e LNA. A precisão absoluta do apontamento é de 15 segundos de arco. O telescópio é utilizado para fotometria, espectroscopia e polarimetria na faixa óptica e infravermelha.
  2. O telescópio Boller & Chivens foi instalado no OPD em 1992 através de um convênio entre o Instituto Astronômico e Geofísico da USP e o LNA. O espelho primário tem 60cm de diâmetro e a razão focal no foco Cassegrain é de f/13,5. A óptica é do tipo Ritchey-Chrétien. O apontamento deste telescópio utiliza uma adaptação do programa desenvolvido para o telescópio Perkin Elmer. É utilizado para fotometria e polarimetria na faixa óptica e infravermelha.
  3. O telescópio Zeiss tem uma abertura de 60cm. Foi adquirido da ex-Alemanha Oriental em troca de café nos anos 60/70. Permaneceu armazenado em Brazópolis durante muitos anos até ser montado em 1983 no OPD. O projeto óptico é de um Cassegrain clássico, com espelho primário parabólico e secundário hiberbólico. A razão focal no foco Cassegrain é f/12,5. O instrumento tem apontamento manual. É utilizado exclusivamente para fotometria na faixa óptica.

Os seguintes instrumentos são utilizados em conjunto com os telescópios para detectar e analisar a luz dos objetos astronômicos:

  1. Espectrógrafo Cassegrain: Fornece espectros de baixa e média resolução; é utilizado exclusivamente em conjunto com o telesópio Perkin Elmer.
  2. Espectrógrafo Coudé: Fornece espectros de alta resolução; trata-se de um instrumento grande, não móvel, instalado permanentemente no prédio do telescópio Perkin Elmer e é utilizado exclusivamente em conjunto com este.
  3. Câmara Direta: O OPD dispõe de duas câmaras para imageamento direto; equipados com detectores CCD. Ambas são utilizadas em conjunto com todos os telescópios.
  4. FOTRAP - Fotômetro Rápido: Este instrumento permite fotometria quase-simultânea nas cinco faixas espectrais U B V R I (mais em luz branca) com uma resolução temporal até 50 milisegundos. É utilizadas em conjunto com todos os telescópios.
  5. FOTEX - Fotômetro Texas: Trata-se de um fotômetro clássico (originalmente desenhado no Observatório MacDonald, Texas, USA; portanto o nome) para fotometria seqüencial em três bandas (U B V). É utilizado em conjunto com todos os telescópios.
  6. Gaveta Polarimétrica: Trata-se de um módulo usado em conjunto com as Câmaras Diretas para permitir observações polarimétricas.
  7. Câmara Infravermelha: Trata-se de uma câmara equipada com um detector para radiação infravermelha. Permite obter imagens diretas (em conjunto com o telescópio Boller & Chivens) ou espectros (em conjunto com o espectrógrafo Coudé) nas bandas J H K.
  8. Eucalyptus: Trata-se de um espectrógrafo equipado com uma IFU (Unidade de Campo Integral) para obter simultaneamente 520 espectros espacialmente resolvidos de um campo celeste. É utilizado em conjunto com o telescópio Perkin Elmer. Este instrumento se encontra na fase de comissionamento e ainda não está disponível à comunidade.


Principais atividades no ano 2001

Além dos trabalhos normais de manutenção da infra-estrutura do OPD, as principais atividades desenvolvidas em 2001 para garantir e melhorar o funcionamento do observatório foram:

  1. na área da instrumentação:
  2. na área da logística:
  3. na área de apoio operacional:


Resultados da operação do OPD

Tabela 2 contêm um somatório do uso dos telescópios durante o ano 2001. Sobre a coluna ``Noites perdidas'' são listadas os números de noites completas perdidas por motivos metereológicos, fora do controle do LNA. Em contraste, a coluna ``Horas perdidas'' enumera o número de horas perdidas por motivos instrumentais ou operacionais.


Tabela 2: Estatística do uso dos telescópios do OPD em 2001.

Telescópio Noites Noites Horas Horas
  distribuidas perdidas observadas perdidas
Perkin Elmer   160 1130 27
Boller & Chivens   126 926 32
Zeiss   58   6


Figura 2 mostra um gráfico com a utilização dos telescópios ao longo do ano. As grandes diferenças entre os meses de verão e de inverno refletem as condições metereológicas pouco favoráveis para obervações no verão.

horas.gif (7113 bytes)
Fig. 2: Número de horas observadas nos telescópios do OPD em 2002 como função do mês.

Tabela 3 contêm um somatório da distribuição do tempo de telescópio entre as maiores instituições usuárias do OPD, comparando os números para 2001 com o integral dos números dos anos anteriores.


Tabela 3: Estatística da distribuição de tempo de telescópios em 2001 entre as principais instituições usuárias.

Instituição Noites de telescópio Noites de telescópio
  (2001) (1990-2001)
IAG / USP 53.1 % 42.3 %
ON 12.9 % 16.0 %
INPE 6.4 % 13.2 %
LNA / MCT 3.5 % 8.5 %
UFGRS 4.4 % 4.9 %
UFMG 3.3 % 5.9 %
UFRJ 6.1 % 3.5 %
outros 10.3 % 5.7 %

 

Considera-se como resultados obtidos pelo OPD as teses (mestrado, doutorado) defendidas e os trabalhos científicos com dados dos telescópios do observatório, publicados pelos astrônomos usuários em periódicos arbitrados, em proceedings de congressos, etc. O impacto dos resultados é refletido no número de hetero-citações dessas publicações.

As Figuras 3 e 4 contêm histogramas com os números de publicações e hetero-citações ao longo dos anos. Note que por falta de dados relevantes as citações somente incluem os primeiros seis meses de 2001.

Public.gif (5795 bytes)
Fig. 3: Número de publicações com dados obtidos nos telescópios do OPD

Heterocit.gif (5111 bytes)
Fig. 4: Número de herero-citações em revistas indexadas de publicações com dados obtidos nos telescópios do OPD


next up previous
Next: O Projeto Gemini Up: rel-gestao-2001 Previous: O Laboratório Nacional de

Albert Bruch 2002-04-23