home   projetos 2017B distribuição de tempo

Projeto Observacional para 2017B - OP2017B-015

Autor: Gustavo F. Porto de Mello
Instituição: UFRJ


Co-autores:
Maria Luisa Ubaldo Melo

Título: Analogas Solares no Ultravioleta: a banda molecular do CN

Resumo: Buscamos explorar o espectrógrafo coudé sua grande estabilidade para investigar resultados que obtivemos recentemente analisando espectros FEROS de análogas e gêmeas solares no UV. Em 2014 (Porto de Mello et al. A&A, 563, A52, com farto uso de dados do OPD) confirmamos que as bandas do CN e CH são extremamente sensíveis a diferenças de parâmetros atmosféricos em estrelas de tipo solar, com grau de discriminação que as análises clássicas com modelos de atmosfera tem dificuldade de reproduzir. Ubaldo Melo (2017, monografia de conclusão de curso, OV/UFRJ) mostrou que os espectros FEROS possuem fortes distorsões no contínuo na região de comprimento de onda inferior a 4000 A, por conta da colagem das ordens echelle, de tal magnitude que impedem a correta representação das transições do CN concentradas em torno de 3850 A. A proposta original de Hardorp (1978, A&A, 63,383), confirmada por Porto de Mello et al. (2014), sugere a banda do CN como um discrim! inador altamente sensível de diferenças na distribuição de fluxo de estrelas de tipo solar mesmo em baixa resolução,i.?, R ~ 2000. Isso torna a banda do CN um útimo diagnóstico de análogas e gêmeas solares, para as quais os métodos clássicos de determinação de Teff esbarram em erros de pelo menos 30 ou 40 K. Propomos utilizar o espectrógrafo coudé com a rede de 600 l/mm, em 1a ordem direta, para obter na região de 3850 A espectros com poder de resolução de R ~ 8000. Projetos anteriores de obtenção de ndices de Mt Wilson na regi?o de 3900-4000 A mostraram que os espectros coudé não possuem diferença de curvatura na região entre 3600 e 4100 A, sendo facilmente normalizáveis e, assim, a ferramenta ideal para investigar pequenas diferenças na intensidade da banda do CN em análogas solares. Provavelmente já não existe no mundo um espectrógrafo com essas características. Testes preliminares mostraram que espectros com S/R ~> 100 ou superior podem ser obtidos para estrelas de V ~ ! 8 em cerca de uma hora. A grande maioria de nossos alvos possu! i V < 8. Propomos a observação de uma amostra de estrelas de tipo solar com parâmetros atmosféricos bem conhecidos e uma amostra de candidatas a gêmeas e análogas solares, realizando uma análise extensa e precisa das intensidades de suas bandas do CN.